4ª PARTE - O CENTRO INTEGRAL A DEUS

Para atingir os objetivos do Projeto Cidadãos do Infinito é necessário a construção de um centro integrado de atividades que possibilitem atingir o desiderato final.

Este centro de variadas atividades, denominado provisoriamente, CENTRO INTEGRAL A DEUS deverá ser composto do seguinte:

a) Terreno com área ajustada para todo o projeto

b) Centro adaministrativo

c) Centro de serviços

d) Setor residencial  individual

e) Setor residencial coletivo

f) Centro de Saúde

g) Centro de Estudos

h) Centro de eventos

i)  Centro esportivo

j) Culturas orgânicas

k) Pomares orgânicos

l)  Criação de peixes

m) Criação orgânica de animais

n)  Comércio de produtos naturais.

o) Capela  Santuário

p) Biblioteca

q) Escola Agrícola

r) Estação de rádio

s) Estação de TV

t) Editora e jornal

u) Centro de recuperação AA – NA - TA

v) Lar da Criança

w) Lar de Idosos

x) Centro de Formação

y) Casa de Retiros

 

           Anexo -  Planejamento expedito do projeto

 

           Os recursos financeiros para o projeto deverão ser alocados a partir de uma associação formada por um grupo de pessoas que fundarão uma entidade ou uma ONG, através da qual se iniciarão as atividades com a compra de uma área de terras em local ermo e privilegiado pela natureza e que ao mesmo tempo seja próprio para o projeto e que tenha fontes naturais de água e vegetação nativa.

            Os recursos humanos deverão ser organizados a partir de um grupo de interessados voluntários e posterior emprego de mão de obra qualificada, preferencialmente de pessoas dispostas a participar ativamente do projeto.

            Como o projeto prevê também a participação de pessoas a partir da época de sua aposentadoria no trabalho, com certeza, pelo envolvimento nas atividades do projeto, estas receberão uma ajuda de custo a partir do momento em que a empresa se tornar auto suficiente e lucrativa.

            Participarão desse projeto as pessoas que conscientemente aderirem a empresa com o objetivo de orientar a sua vida para uma existência útil e a serviço da causa evangélica e que com muita fé e esperança acreditem na vida após a morte através da ressurreição para a Comunhão dos Santos

           Também é fundamental que os participantes tenham certo e tácito que a vida em comum dos cristãos significa repartir e direcionar todo o esforço em benefício de quem precisa e principalmente difundir o evangelho  para a conversão de todos os que com humildade aceitarem a Jesus.

         Por se tratar de um projeto com base na Doutrina  Católica,  é  lógico que as práticas religiosas deverão ser baseadas nos ritos católicos, Santas Missas, Recitação do Santo Rosário  e  todos os ritos e eventos  que porventura se realizarem  no âmbito do projeto,  tendo  sempre firme a inexorável meta na eternidade com a Santíssima Trindade e a Comunhão dos Santos.

      O funcionamento do Centro Integral a Deus deverá funcionar de forma harmoniosa e integrada tendo sempre um único objetivo: Ganhar a vida eterna com  Jesus

      Toda a produção dentro do projeto deverá ser natural, integral e orgânica e será a base da alimentação das pessoas, sendo que o excedente será vendido no centro comercial.

      As pessoas poderão morar ou não no projeto. Caso queiram, poderão inclusive construir a sua casa na área destinada para uso residencial ou se hospedarem temporariamente nas acomodações individuais ou coletivas.

       O Centro de Saúde deverá funcionar com medicina natural, medicina biológica, medicina quântica e demais métodos não agressivos e não químicos.

           Esse centro deverá também servir para a formação de assessores de saúde e para treinamento de culinária natural.

           O Centro de Eventos e de Estudos deverá funcionar de forma integrada, servindo para estudos, tanto da área médico-científica como religiosa, bem como para sediar eventos,  palestras, congressos e simpósios.

           Todos os demais setores listados deverão funcionar perfeitamente integrados e baseados no mesmo espírito e no mesmo objetivo.

           O projeto  final  será elaborado por um grupo técnico e amplamente discutido para depois ser orçado e implantado por etapas de prioridade.

            Este escopo de funcionamento pretende ser apenas uma diretriz geral , um esqueleto básico, para a partir disso evoluir na direção de um verdadeiro centro integrado que sirva para acolher os homens de boa vontade, os idosos e os abandonados, bem como todos aquele que têm como objetivo a vida eterna pela ressurreição.

          Trata-se de um desafio enorme, um desafio não apenas de cunho material, mas principalmente um desafio para vencer inclusive as resistências mais inesperadas, inclusive de autoridades eclesiais  e de irmãos na fé.

         Por isso deveremos ter muita compreensão e entender a posição eventual de pessoas e da sociedade, uma vez que é perfeitamente entendível que apenas pela fé se poderá entender o desiderato desse projeto.

         O objetivo básico, fundamental e único é o crescimento na fé e a partir dela desenvolver as obras para a implantação do reino de Deus e assim ganhar a vida eterna, não por merecimento, mas pela infinita misericórdia de Deus, que deu o seu Filho Único para nos salvar pela sua doação na Cruz.

           Devemos estar atentos para os acontecimentos temporais, para  as dores do parto, para os sinais dos tempos,  para as profecias da Biblia e para as  exortações de Nossa Senhora nas suas diversas formas de Aparições em todo o mundo a partir de La Salette e de Fátima.

           A escatologia é uma das formas de identificação dos sinais da presença do anticristo e devemos estar preparados para viver  estes dias.

           Vivendo a vida de fé e baseados nas  promessas de Cristo e através da revelação de Deus, Êle na sua infinita misericórdia dará a recompensa aos que forem obedientes e fiéis à sua causa nesta vida.

          Deus ama a todos e quer a salvação de todos, por isso preparou um plano de amor, um plano de salvação em que todos, pelo livre arbítrio, tem a chance de serem salvos pelo sangue de Jesus, desde que creiam e vivam plenamente o evangelho.

          Fala-se tanto em fé, mas muitos não tem a exata noção do que significa essa palavrinha e confundem-na com tantas outras bobagens, senão vejamos o que diz em Hb 11,1ss:

           A fé é o fundamento da esperança, é  uma certeza a respeito do que não se vê. Foi ela que fêz a glória dos nossos antepassados. Pela fé reconhecemos que o mundo foi formado pela palavra de Deus e que as coisas visíveis se originaram do invisível.

          Como vemos atualmente, tem muita gente negando a fé dos seus antepassados, trocando os ensinamentos dos pais e avós por promessas vãs de filosofias baratas e sem fundamento.  E mais uma vez a Bíblia prova que as coisas visíveis têm origem nas coisas invisíveis, as quais são o mundo espiritual em que Deus habita e para o qual nós somos todos convidados a participar depois da nossa morte.  

           Ora, a fé é, portanto, o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem. A fé não é um amuleto ou uma bengala e precisa ser cuidada e cultivada junto com a oração, porque foi pela fé que Abel ofereceu a Deus um sacrifício bem superior ao de Caim, foi pela fé que Enoc foi arrebatado sem ter conhecido a morte, foi pela fé que Abraão partiu para uma terra que devia receber como herança e ofereceu seu filho Isaac em holocausto, foi pela fé que Noé construiu a arca, foi pela fé que Moisés renunciou a ser filho da filha do Faraó e atravessou o Mar Vermelho, foi pela fé que desabaram as muralhas de Jericó e foi pela fé que os nossos pais morreram e viveram.

           É comum ouvir as pessoas dizerem: Eu creio em Deus, eu tenho fé, eu acredito que Deus existe e assim por diante.  Veja na Epístola de Tiago 2,19:  "Crês que há um só Deus? Fazes bem. Também os demônios crêem e tremem".  Ora, nós vimos que no mundo invisível, o demônio foi precipitado no abismo por Deus, então é óbvio que o maligno conhece muito bem a Deus e acredita mais do que ninguém que Deus existe, e treme diante do seu poder. Portanto não basta ter fé em Deus, é preciso ter obras, é preciso que em conseqüência da fé, apareçam as boas obras, tal como vemos em Tg 2,17-18:

             "Assim também a fé: Se não tiver obras, é morta em si mesma. Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras. Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras."