CATECISMO DO NAMORO - Namorados sim, mas ... católicos!

 

Eis um Catecismo que é bom fazer chegar aos namorados, para que não pequem contra o 6º Mandamento.

NAMORADOS SIM, MAS...CATÓLICOS!

Que é “namoro”?

Namoro é o período em que o rapaz e a moça procuram conhecer-se em preparação para o matrimônio.

Que primeira conclusão podemos dar?

O namoro só se justifica no caso em que o rapaz e a moça têm condição para contrair matrimônio num prazo razoável de um a dois anos. Namoro de adolescentes, ou longo demais, não é preparação para o matrimônio, mas sim ocasião de pecado.

Em que consiste o matrimônio?

          No matrimônio homem e mulher doam seus corpos, constituem uma só carne e tornam-se instrumentos de Deus na geração de novas vidas humanas.

Então, em que deve consistir a preparação ao matrimônio?

          Antes de dar os corpos é preciso doar as almas. No namoro os jovens procuram conhecer não o corpo do outro, mas sua alma.

Que conclusão podemos tirar daí?

          Os namorados não podem ter relações sexuais (fornicação), nem atitudes contrarias à castidade.

Porquê?

          Pois o corpo do outro ainda não lhes pertence, pelo sacramento do matrimônio religioso. Unir-se ao corpo alheio, antes do casamento na Igreja é um pecado contra a justiça, e como nosso corpo é o templo do Espírito Santo (1 Cor. 6,19), a profanação de nosso corpo é algo semelhante a um sacrilégio.

São permitidos os abraços e beijos?

          Porém não é apenas a fornicação que é pecado, mas também tudo o que provoca o desejo da fornicação, como abraços e beijos.

Não podem ser considerados como simples expressões de afeto?

          Não, já que muitíssimo mais do que constituírem expressões de afeto, despertam, alimentam e exacerbam o desejo físico. Aliás, é possível profanar o templo do nosso corpo até por um pensamento: “Todo aquele que olha para uma mulher com mau desejo já cometeu adultério com ela em seu coração” (Mat. 5,28).

Que conseqüências práticas tiramos disso?

          Durante o namoro deve evitar o contato físico, como abraços e beijos, que já constitui uma entrega física que, se acidentalmente pode não se consumar, no entanto prepara o apressa. Vale aqui lembrar a advertência de Cristo: “Vigiai e orai para não cairdes em tentação. O espírito é pronto, mais a carne é fraca” (Mt. 26, 41).

Que outra conseqüência tirais disso?

          O prazer da excitação dos sentidos torna-os incapazes de perceber a beleza da alma do outro. O namoro assim deixa de ser uma ocasião de amar para ser uma ocasião de egoísmo a dois, cada uno desejando sugar do outro o máximo prazer.

Como, então, deve-se namorar?

          Sendo o namoro o encontro de dois templos sagrados que desejam conhecer-se e amar-se interiormente, os namorados deveriam agir a semelhança de um rito litúrgico:

1 – Rezar antes e depois do namoro;

2 – Namorar apenas em lugar visível, para evitar ocasiões de pecar. Nada há para esconder.

3 – Durante o namoro evitar ir além de conversar e dar as mãos.

4 – Ter sempre em mente: “Eu estou diante de um templo sagrado. Ai de mim se eu profanar este templo até por um pensamento!”.

5 – Depois do namoro convém fazer um exame de consciência: “Estou agora amando a Deus mais do que antes?”

 

E se o outro não aceitar namorar cristãmente?

          É preciso renunciar ao namorado (à namorada): “Aquele que ama pai ou mãe mais do que a mim não é digno de mim” (Mt 10,37). O que poderíamos acrescentar: “Aquele que ama o namorado ou a namorada mais do que a mim não é digno de mim”. Para conservar a graça que Jesus Cristo nos conquistou a preço do seu Sangue, devemos renunciar à própria vida, e com maior razão ao namorado (à namorada).

 

Não é isso muito duro?

          Sim é duro, mas tem um consolo. Se o outro não aceita namorar senão através de beijos e abraços escandalosos, na verdade Ele não ama você, mas deseja gozar do prazer que você pode oferecer. O verdadeiro amor sabe esperar. A reta intenção incluí a prudência, autodomínio, fundamento da castidade conjugal.

 

Mas, é realmente preciso ser diferente de todo o mundo?

          Sim, o cristão deve ser o sal da Terra (Mt 5,13, luz do Mundo (Mt. 5,14), fermento na massa (Mt. 13,33). “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos, renovando a vossa mente, a fim de poderdes discenir qual é a vontade de Deus, o que é bom, agradável e perfeito” (Rm. 12,2).

 

Mas não é levar uma vida muito triste?

          Aquele que procura o prazer, encontra o prazer. Mas depois vem o vazio, o remorso de consciência e a tristeza de ter pecado.

          Aquele que se abstém do prazer ilegítimo, por obediência a Jesus Cristo, encontra a alegria e a felicidade: “Bem aventurados os puros porque verão a Face de Deus” (Mt. 5,8).

 

Que significa isso?

          Isso significa que a alegria da pureza está acima do prazer da impureza assim como o Céu está acima da Terra. Ao olharmos para os olhos de uma pessoa pura, vemos algo de divino em sua alma, algum reflexo deste Deus que contempla com maior facilidade e perfeição.

 

 

ORAÇÃO PARA ANTES DO NAMORO

            Senhor, estou diante de um templo onde Vós habitais. Amo-Vos presente neste templo e prefiro morrer a profanar este santuário mesmo por pensamento.

Fazei que com este namoro eu aprenda a amar a Vós presente no outro, e assim descubra se foi este (esta) quem escolhestes para estar a meu lado por toda a vida.

São Rafael Arcanjo, que conduzistes Tobias e Sara e lhes ensinastes a pureza do coração, fazei que na obediência aos mandamentos, possamos glorificar a Deus para sempre. Amém.

 

 

 

  

Reflexões para os namorados que não querem pecar contra o 6º Mandamento

 1 - O sexo, como Deus-Pai o concebeu, não é pecado dentro do Matrimônio. Ao contrário! É divino, exatamente por ter sido criado por Deus-Pai. Coisa maravilhosa!

São Domingos Sávio, Santa Luzia, Santa Filomena, nossa brasileira e Bem-Aventurada Albertina Berkenbrock, e tantos outros Santos e Santas sabiam disto.

Tomemos o caso de Santa Maria Goretti: ela sabia que o sexo extra-matrimonial é Pecado contra o 6º Mandamento. Ela era mansa e humilde para com a Verdade Revelada por Deus. Portanto, não aceitou a sedução, o assédio daquele homem que não era seu marido, e queria porque queria, Pecar contra o 6º Mandamento. Ele a assassinou por ela não ter concordado em Pecar com ele, contra o 6º Mandamento.

Santa Maria Goretti, membro da Igreja Triunfante, vive no Céu, em a presença de Cristo, Que é Deus!

Ou seja, goza da Visão Beatífica de Deus: não somente vê Deus, mas O compreende!

2 - Como o mundo melhoraria, se todos os evangelizadores obedecessem ao 6º Mandamento e, conseqüentemente, tivessem condições morais de ensinar o cumprimento do 6º Mandamento às crianças, adolescentes e jovens! Como o mundo melhoraria!

 

Não aconteceria a maternidade e paternidade irresponsáveis;

Filhos e filhas não brigariam com seus pais para ficarem à-vontade em seus relacionamentos sexuais extra-matrimoniais;

Nem os pais, com medo de perder a amizade dos filhos, liberariam geral, fornecendo alcova e preservativos.

E, mais importante: educados moralmente, essas crianças, adolescente e jovens TERIAM CONDIÇÕES MORAIS DE EDUCAR OS FILHOS QUE LHES VIESSEM DEPOIS DO MATRIMÔNIO.

Ao contrário: crianças, adolescentes, jovens que não obedecem ao 6º Mandamento (inclusive os que vivem dentro das igrejas, masnão foram evangelizados), não terão condições morais de educar os filhos que lhes vierem antes ou depois do Matrimônio... Isto é um diabólico Círculo Vicioso que ajuda a demolir o Cristianismo...

 

Erros são individuais, mas as conseqüências são comunitárias:

O pecado contra o 6º Mandamento mais escondido do mundo, que um evangelizador pratica, repercute como ondas invisíveis de uma explosão enorme, pois o impede de evangelizar toda a comunidade.

Por sua vez, a comunidade, não-evangelizada, como irá proceder? Como pais e mães não-evangelizados educarão seus filhos? Será impossível.

Como esses filhos não-evangelizados, quando tiverem filhos, os educarão?

 

Somente a obediência ao 6º Mandamento por todos os evangelizadores e pais (obediência de acordo com o estado civil de cada um), quebraria este Círculo Vicioso que hoje demole o Cristianismo.