ENTENDER AS INDULGÊNCIAS MEDIANTE EXEMPLOS PRÁTICOS

Exemplos práticos para explicar o que são as indulgências. Hugo Ferreira Pinto -

1.ACIDENTE DE CARRO:

Ocorre uma colisão e eu sou culpado. O dono do outro carro, que ficou arrebentado, quebrado, ficou com muita raiva, tornou-se meu inimigo. Eu peço perdão, ele se acalma, torna-se meu amigo. Mas o acidente causou 2 problemas: A inimizade, o maior problema, resolvido quando ele aceitou meu pedido de perdão. Mas restou o problema menor, o carro amassado, quebrado. Então, não é suficiente eu pedir perdão, é preciso também que eu mande consertar o carro ou pague o conserto.

Quando ofendemos a Deus, o pecado provocou 2 coisas:

a) inimizade com Deus, que é o pior de tudo.

b) Meu pecado fez estragos, na minha alma, na vida de outras pessoas e até (mesmo que isso fique invisível aos meus olhos) NO MUNDO INTEIRO.

Portanto:

Primeiro passo: Recobrar a amizade com Deus. (confissão)

Segundo passo: Consertar tudo o que eu estraguei. (indulgência)

Voltando ao exemplo do carro. Eu pedi perdão, voltei à amizade com o dono do carro. Mas, na hora de pagar a dívida, o conserto, verifico que não tenho dinheiro suficiente. Aí falo com o dono do carro, que agora é meu amigo e ele, como é muito INDULGENTE, caridoso, me perdoa TAMBÉM o conserto do carro. São, portanto, 2 perdões: perdão-amizade e perdão-estrago = confissão e indulgência.


2. O PREGO NA PAREDE.

Vemos com desgosto, um velho prego enferrujado numa linda parede. A gente arranca o prego, mas fica o buraco do mesmo, parece que enfeando a parede mais do que o próprio prego. Então, a "confissão", arranca o prego, em seguida "a indulgência" tapa o buraco e pinta de novo, não deixando o menor sinal na parede.
 

3. UMA OPERAÇÃO CIRÚRGICA:

A pessoa teve a sua vida salva por uma grande operação cirúrgica. No entanto, ficou com uma feia cicatriz no local da operação. A confissão é a grande operação cirúrgica, salvando-nos, não nesta vida mortal, mas do Inferno Eterno. Em seguida a indulgência faz uma "cirurgia plástica" eliminando completamente a cicatriz.


4. O PAPEL AMASSADO.

A gente amassa bem um papel com a intenção de jogar no lixo. Depois lembra que tem uma anotação importante, era um documento para ser entregue no DETRAN. Então a gente tira o papel do lixo e desamassa. Mas o papel fica cheio de marcas, de rugas. Então tem que usar um ferro de passar roupa para alisar o papel.
O papel amassado e jogado no lixo é o pecado. A confissão desamassa o papel e depois a INDULGÊNCIA é o ferro de passar roupa que deixa o papel completamente liso.

INDULGÊNCIA É  "O DOM TOTAL DA MISERICÓRDIA DE DEUS" (*)

A confissão, afirma João Paulo II, a ser proposta aos fiéis cotidianamente (Novo Millennio Ineunte 37) nos santifica parcialmente "quanto à culpa e não quanto à pena "  deixando "em aberto" os resquícios, as marcas," as conseqüências do pecado, das quais é necessário purificar-se. É precisamente neste âmbito que ganha relevo a indulgência, através do qual se manifesta o DOM TOTAL da misericórdia de Deus."(João Paulo II, "Incarnationis Mysterium" 10).

"Esta purificação liberta da "pena temporal" do pecado.

Expiada esta é que fica cancelado TUDO AQUILO que impede a PLENA COMUNHÃO com Deus e com os irmãos." (idem).

________________________________________________________________________


(*) Enquanto que o Papa usa a expressão "Dom TOTAL da Misericórdia de Deus", a Penitenciária Apostólica emprega o termo "a PLENITUDE da Misericórdia de Deus":
"O dom da indulgência manifesta a plenitude da Misericórdia de Deus, que é expressa, em primeiro lugar, no sacramento da Penitência e Reconciliação." (em ?O DOM DA INDULGÊNCIA? de 29 de Janeiro de 2000).

"...ao dom fundamental da restituição da Graça, em via ordinária mediante o sacramento da Penitência, e à conseqüente remissão da pena infernal, o Senhor, Rico em Misericórdia, une, mediante o ministério da Igreja, a remissão também da pena temporal (*) com o dom das indulgências..." (João Paulo II à Sagrada Penitenciária Apostólica, em 1 de Abril de 2000.)
_____________________________________________________________________
(*) Essa "pena temporal" é o castigo dos pecados já perdoados e pode consistir numa doença, acidente, tragédia, aperto financeiro, enfim, qualquer sofrimento ou calamidade que nos atinja. Portanto, a Indulgência, POR DEFINIÇÃO, é a supressão ou diminuição desses castigos.