O CÍRCULO DA CRIAÇÃO SE FECHARÁ - E virá o Paraíso

O CÍRCULO DA CRIAÇÃO SE FECHARÁ - E virá o Paraíso

 

“Deus formou o homem do pó da terra, soprou-lhe nas narinas o sopro de vida, e ele tornou-se um ser vivente” (Gên. 2,7); Isto significa que o ser humano tem uma característica que o distingue dos demais seres criados. O homem é um ser racional. Tem uma capacidade que se lhe tornou inerente, a ponto de definir-lhe a natureza: a capacidade de conhecer e amar.

 

No “sopro de vida” foi infusa no homem a idéia de DEUS. O ser humano tornou-se capaz de Deus, o homem consegue abrir-se ao Infinito e Eterno. O homem recebendo a idéia de Deus, diretamente Dele, consegue ver e entender todo o Universo e a si mesmo, na perspectiva de Deus. A partir deste acontecimento o ser humano, não vive só de pão, mas da Palavra de Deus.

 

Porém satanás induziu o ser humano a se tornar igual a Deus, ou seja, a ocupar Seu lugar e conseqüentemente destituí-LO de sua vida.

 

Com o pecado original, satanás tirou então do ser humano a idéia de Deus que lhe tinha sido infusa desde o início, em sua origem. E desde então passou a conduzir o homem para qualquer lugar, menos para a meta final de sua vida. O homem começou a caminhar errante, como que às apalpadelas, criou uma cultura de violência, de desonestidade.

 

Vieram então as Alianças de Deus com os homens, concretizando-as nas figuras humanas de Adão e Eva, de Noé, de Abraão e de Moisés. Gestos Divinos da Aliança com os homens. Através destas figuras humanas, de cuja existência e atuação nada ou pouco os homens sabem, Deus mostrou-se presente nas vicissitudes terrenas. Transformou os acontecimentos temporais em História da Salvação.

 

O homem é importante e sua importância está na capacidade de conhecer e amar a Deus, fonte de todas as coisas e razão de ser de tudo.

 

Depois, a Aliança de Deus, de modo especial, a plenitude dos tempos, em Jesus Cristo Crucificado, foi escândalo para os judeus e opróbrio para os pagãos, mas para os cristãos, sabedoria e força de Deus, assim prega São Paulo.

 

A encarnação de Deus supera todo entendimento, principalmente porque atesta um amor que supera todo sentimento. É assim que Deus ama os seres humanos!  Os primeiros cristãos, que fizeram a experiência de Jesus Cristo, crucificado e ressuscitado, assim como os cristãos de hoje que através dos sacramentos e da oração, fazem esta experiência, compreendem o projeto de Deus.  Jesus Cristo é o sinal supremo do amor de Deus. Sua morte de Cruz comprova seu amor. É o amor em plenitude. Isto é plenitude dos tempos.

 

CRISTO venceu a morte e devolveu-nos a Vida, a amizade com o PAI, devolveu-nos o direito de habitar na Pátria Celeste.

 

Jesus Cristo instituiu a Igreja, ELE não apenas fundou uma sociedade humana, mas gerou uma vida nova no mundo, que tem a Ele como cabeça, o Espírito Santo como alma e os fiéis, pelo batismo, como membros.

 

A Igreja brilhou, mas logo vieram as perseguições, muitas mortes, muito sangue derramado, muitos mártires, e sobreviveu a anos de catacumbas... E ressurgiu! Mas caminhou e caminha errante! Pois ela também é humana, composta de homens, que constituem seus membros. Por isso está sujeita às vicissitudes dos tempos.

 

E satanás, a vai tentando dia a dia.

Mas ela vencerá!

A Igreja de Cristo deve continuamente procurar crescer na sua unidade, santidade universalidade e fidelidade às origens apostólicas. Há fieis que não só crêem na sua Igreja como também a amam.  S. Agostinho dizia que alguém possui tanto o Espírito Santo quanto ama a Igreja.

 

E nós fiéis a Jesus Cristo e à Sua Igreja, precisamos ver o sofrimento na perspectiva da eternidade. Ele faz parte de uma longa caminhada. É o modo de purificar e plenificar o amor.  Devemos manter fixo nosso olhar na meta: Encontro definitivo com Deus, assim os tropeços do caminho, com todo o sofrimento, torna-se suportáveis.

 

Os sofrimentos da vida presente têm: proporção com a glória que Deus proporcionará aos homens, e nos impulsiona a viver mais autenticamente e a superar as limitações do dia a dia, para progredir na vida e chegar à sua plenitude. Completamos em nosso corpo, o que falta ao sofrimento de Cristo para a salvação da humanidade, como disse São Paulo.

 

A verdadeira felicidade se encontra no plano espiritual: no conhecimento e no amor.

Os cristãos reconhecem a Deus como Pai de todos e assim acolhem os fieis de Cristo como irmãos. Incluem no seu círculo de amizade também os Santos Anjos e os Santos, mas não deixam de lado as Almas do Purgatório, pelas quais intercedem incessantemente. Trata-se de admirável convívio familiar no qual os Santos são exímios nesta tarefa, pois aprenderam que a essência da vida cristã é o amor. Cristo resumiu toda a lei neste único mandamento: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Este próximo são também os que já partiram desta vida e que a Igreja nos apresenta como nossos amigos que se encontram junto de Deus, é em Deus que os encontramos.  Se não acolhemos todos os que estão em Deus, não poderemos também encontrarmos com o Pai, por Jesus Cristo, no Espírito Santo.

 

A Igreja é esta família de Deus (COMUNHÃO DOS SANTOS- UNIÃO DO CÉU E DA TERRA) que reúne, no culto divino, todos os irmãos: aqueles que vieram participar da celebração, na igreja, os que estão no purgatório e os que já gozam da glória do céu.

 

A Igreja será restaurada. O princípio da Santa Igreja e o fim de sua atividade terrestre, em sua grandeza espiritual e nas suas dificuldades temporais, estarão face em face, em igual tamanho. Maria juntará, em Si, o princípio e o fim. Do início da Santa Igreja, de que os Atos dos Apóstolos nos informam, podemos concluir a extensão da fé, da fortaleza e da fidelidade, que será precisa para o fim, a que já em nossos dias, aqui e acolá, nos homens santos nitidamente se manifesta. Maria conta com estes homens para a restauração da Igreja.

Virá o tempo dos Anjos, em que Eles selarão as Comunidades e todas as Virtudes em especial o Amor e a Unidade, estas florescerão dentro destas Comunidades as quais serão seladas por determinação do PAI.

 

A nossa fé deve desde já ser semelhante a um pilar. Com tal fé, e armados com a espada da fortaleza e da fidelidade, daremos aos Santos Anjos a possibilidade de operar conosco. Porém, só poderei estar e combater nas fileiras dos Santos Anjos, se tiver caráter, se estiver com o coração e espírito puro, com integridade moral, atitudes limpas e puras.

 

A Igreja já sofre, mas sofrerá brutalmente grandes perseguições, virá o tempo das catacumbas, a Igreja sobreviverá nestas pequenas Comunidades de Amor seladas pelo PAI.

 

Muitos que estarão fora sobreviverão, cessará o tempo das catacumbas e o Espírito Santo virá com toda a força junto aos Santos Ressuscitados, junto aos Glorificados.

Acontecerá uma Grande Evangelização e ainda algumas lutas (temporais) como foram no início nas Comunidades Primitivas, porém o homem auxiliado pelas Santas Almas resgatadas por ele, neste tempo de agora (Caminhada nos Cemitérios), pelos Santos do Céu que voltarão, com o auxílio dos Santos cujos nomes foram inscritos no Livro da Luz, pelos Glorificados, todos em perfeita união e amor, numa verdadeira comunhão dos santos, agarrados a Seu Santo Anjo e aos Santos Anjos – juntos restaurarão devolvendo repatriadas a Natureza, os animais, toda a criação para Deus e também através da instauração de Sacrários em cada canto da terra, a Igreja florescerá, Jesus reinará Eucaristicamente no meio de nós. Venceremos numa verdadeira Comunhão dos Anjos e Santos, em perfeita União do Céu e da Terra, juntos à Mãe Celeste Maria Santíssima: satanás e todos os seus.

 

O Reino de Maria estará construído sobre a terra, em Seu Nome e para Ela! E o Reino de CRISTO-REI é o Reino do Juízo; virá, quando tivermos completado o Reino de Maria que traz consigo os Anjos à terra. Pois Eles são os preparadores deste Reino.

E, novamente teremos direito ao Paraíso!

 

Pois o círculo terá se fechado:

 

·         Criação

·         Queda dos Anjos

·         Deus criou os homens

·         Queda dos homens

·         Deus enviou Profetas, fez Alianças com Seu Povo

·         Enviou Seu Filho – Verbo

·         Jesus Cristo, com Sua Morte e Ressurreição, venceu a Morte, devolveu-nos a Vida, a amizade com Deus. Construiu com Sua Cruz a ponte que nos une ao Pai.

·         Enviou-nos o Espírito Santo, fundou Sua Igreja.

·         Foram desencadeadas inúmeras perseguições. A Igreja sobreviveu! Venceu!

·         Deus enviou-nos Sua Mãe (Inúmeras Aparições) e novos Profetas.

·         À São Francisco, Jesus pediu: “Reconstrói a Minha Igreja”, não física mas espiritual.

·         Em Guadalupe – O Milagre da Trindade Santa permanece vivo e real, todas as Aparições de Santa Maria a Juan Diego, relembram tudo que já fora pedido à São Francisco e certamente a muitos dos quais desconhecemos a história.

·         Libertação da Igreja Padecente. Resgate das almas: dos Vivos e dos Mortos.

·         Queda das oito barreiras que estão a impedir a Restauração da Igreja.

·         Evangelização junto à Santa Maria de Guadalupe.

*   Perseguição da Santa Igreja

*   Volta às catacumbas, mas a Igreja sobreviverá nestas pequenas Comunidades seladas pelos Santos Anjos , por Ordem de DEUS PAI.

* Muitos filhinhos de Deus sobreviverão, mesmo os que estiverem fora das Comunidades seladas, e o Espírito Santo virá com toda força, junto dos Glorificados, dos Ressuscitados, dos Santos Anjos e haverá uma Grande Evangelização, como jamais vimos. A Igreja voltará a ser como nas Comunidades primitivas.

* Toda criação será repatriada à Deus, haverá um Sacrário em cada canto da terra, e Jesus será amado, adorado e glorificado por todos, Ele reinará Eucaristicamente no meio de nós.

* Venceremos numa verdadeira Comunhão dos Anjos e Santos, em perfeita União do Céu e da Terra, juntos à Mãe Celeste Maria Santíssima: satanás e todos os seus.

* E habitaremos novamente no Paraíso!

 

Estamos no tempo em que é extremamente necessário viver o Sermão da Montanha, evangelizar, vivenciar as Obras de Misericórdia: Corporal e espiritual, usar a capacidade de conhecer... Mas principalmente a capacidade de amar... De viver verdadeiramente o AMOR, pois toda a história da Salvação dos homens está impregnada do AMOR DE DEUS.

 

PODERÍAMOS DIZER QUE ESTE É O SEGREDO DA ENGENHARIA DA SALVAÇÃO: O AMOR.

Só o Amor nos leva a realizar gestos concretos de Salvação.

Solange