PALAVRAS DA MÃE - Ao Padre Gobbi

Mensagem retirada do livro "Aos Sacerdotes, filhos prediletos de Nossa Senhora" - Pe. Stefano Gobbi - 20 de abril de 1984 - Sexta-feira Santa.
Junto de Cada Altar - "Sou vossa Mãe muito dolorosa. Acho-me perto do meu Filho Jesus, no momento em que sobe ao Calvário, alquebrado pelo imenso sofrimento e pelo peso da Cruz, que carrega com mansidão e com amor.
Seus pés deixam no chão marcas de sangue; as mãos apertam a Cruz, que pesa sobre os ombros chagados; o corpo está dilacerado e contundido pelo padecimento da terrível flagelação; da cabeça escorrem rios de sangue, saindo das feridas abertas pelos espinhos da coroa...

Quanta fadiga Lhe dá a subida; que sofrimentos a cada passo dado em direção ao cume do Calvário! Cambaleia, firma-se depois, mas é sacudido pelos frêmitos causados pela febre e pela dor; inclina-se como para recobrar novas forças; porém, não pode mais e cai por terra.

Eis o Homem; eis, filhos, o vosso Rei!
Desejaria socorrê-Lo com o ímpeto do meu amor de Mãe; ajudá-Lo com a força da minha dor; ampará-Lo com o conforto da Minha presença.
Acaricio-O, ao menos, com o gemido de minha prece; acompanho-O com a angústia de uma Mãe vulnerada; conduzo-O ao cume do Gólgota, no meu Coração Imaculado já unido ao Seu numa única oferta à Vontade do Pai.

Estou junto d'Ele, quando despojam-No de suas vestes e, num gesto de mãe, compreendido e permitido pelos carrascos, dou-Lhe o meu cândido véu para que cubra a sua nudez; vejo, quando O distendem no patíbulo. Sinto os golpes do martelo nos cravos, que perfuram as mãos e os pés; atravessa-Me a alma o terrível embate da Cruz no terreno, fazendo-Lhe o Coração palpitar violentamente de dor.

Estou aos pés da Cruz, nesta Sexta-Feira Santa, vivendo junto com meu Filho as longas e terríveis horas de sua Paixão.

Envolve-Me como em um manto a paz que desce de seu Corpo imolado; invade-Me como um rio de graça e sinto que Me abro a uma imensa capacidade de amor; minha alma desabrocha para uma nova e maior vocação materna, enquanto o meu Coração Imaculado recolhe toda gota preciosa de sua dor, durante as horas da agonia.

Ó meus filhos, verdadeiramente esta Sexta-Feira Santa iluminou cada dia do vosso terreno caminhar, que o Senhor vos concedeu, porque nesse dia fostes redimidos.

Olhai, vós todos, para Aquele a quem hoje transpassaram!
Deixai-vos lavar no seu sangue, penetrar do seu amor, renascer da sua dor, abrigar-se em suas chagas, prender pelo seu resgate, remir pelo seu novo e eterno Sacrifício.

Repete-se esta Sexta-Feira Santa, quando, no Sacrifício da Santa Missa, Jesus se imola ainda por vós, embora de modo incruento.
Renova-se misticamente para vós o dom supremo desta jornada. Mas, junto a Jesus que se imola, repete-se também a oblação dolorosa de vossa Mãe Celeste, que está sempre junto de cada Altar em que se celebra a Santa Missa, assim como esteve durante a longa e dolorosa Sexta-Feira Santa.

Que vossa fé seja grande e inabalável!
Todo o mal, assim como o espírito do mal, isto é, satanás, vosso adversário desde o princípio, foi vencido e já está reduzido à perpétua escravidão. Não vos apavore seu grande agitar-se de agora, nem vos perturbe. Vivei na alegria e na paz de Jesus, mansa e doce vítima oferecida ao Pai na Cruz, como preço de vosso perene resgate.

Agora que novamente a escuridão desce sobre o mundo e a noite envolve a humanidade transviada, nesta sua Sexta-Feira Santa olhai para Aquele a quem transpassaram, a fim de que compreendais como a vitória sobre o mal, sobre o ódio e a morte já vos foi alcançada para sempre pela força do amor misericordioso de Jesus, vosso Divino Redentor".

(Gentileza Maria Luiza)