TRATAMENTO DE CHOQUE - Conversão de um protestante em Medjugorje

História de conversão de um protestante em Medjugorje, contada por Irmã Emmanuel.
Scott Hastings  teve uma converão imediata em Medjugorje - Medjugorje, outubro de 1999

Scott chega arrastando os pés! Como bom protestante, veio de má vontade a este banho ainda mais católico do que o do Vaticano e protesta! No Reino Unido administra uma grande empresa de computadores e tem necessidade de relaxar. Deixemos as aparições para os católicos, a cada um o que é seu! Previne Teresa, sua mulher que não permanecerá com o grupo, mas irá dar uma volta nas cidades próximas de Medjugorje como Mostar e Dubrovnik.. numa palavra, ocupar suas férias de uma maneira saudável.

            No entanto, as colinas de Medjugorje agradam-no e decide ser o fotógrafo e o operador de vídeo do grupo, durante os primeiros dias da peregrinação.

            Na noite do quarto dia, as conversas do grupo correm a bom ritmo. Pouco a pouco criam-se laços de amizade, predominando a alegria. Scott brinca com o Padre Fred, com quem simpatiza:

- Até agora, o resultado dos padres são de 2 contra 2.
- O que queres dizer com isto, Scott ? – pergunta-lhe o Padre Fred.

- Na hora da Comunhão, quando me apresentei com os braços cruzados sobre o peito, dois padres benzeram-me e dois passaram adiante sem me abençoar. Suponho que estes dois últimos padres não queriam tornar a por no Cibório a Hóstia que traziam para poder me abençoar.

(Scott sendo protestante não comunga pois não acredita na presença real de Cristo na Eucaristia, mas com o gesto de cruzar os braços sobre o peito, ele mostra que quer receber a benção do padre)

            O Padre Fred demonstra a sua decepção diante deste fato e aproveita para questionar Scott sobre a Eucaristia.

            - Para mim, responde Scott, a Hóstia é um símbolo que me permite receber Cristo publicamente. Não é o Verdadeiro Corpo de Cristo.

            Ele conta, então, que antes de casar com Teresa, estudou cuidadosamente a fé católica. O único ponto que ao conseguia aceitar era a fé na presença real de Cristo na Eucaristia. O Padre Fred deu-lhe uma pista:

            - Leia o Capítulo 6 de São João, sobre o Pão da Vida e pede a Jesus que te ajude a compreendê-lo!
            Scott faz uma tentativa e vai rezar na capela de adoração mas não recebe nenhuma luz do Alto!

            No dia seguinte, Scott se dá conta que não lhe agrada mais deixar Medjugorje.  Prefere ficar com Teresa e com os amigos que fizeram no grupo. Sente-se cativado! Ao visitar a Capela da comunidade Oásis da Paz onde o Santíssimo Sacramento está exposto, o Padre Fred recomenda a todos o silêncio e o recolhumento a fim de poderem mergulhar numa oração profunda e desfrutar de algum tempo com Jesus...

            Mas ali, bem encostado, no canto do fundo, Scott depara-se desde os primeiros minutos com um fenômeno estranho: ele tenta, em vão, rezar a Jesus, mas as únicas palavras que lhe vêm a mente são as do terço: Santa Maria, Mãe de Deus,, rogai por nós pecadores agora e na hora de nossa morte. O problema é que estas palavras surgem no seu espírito em jatos contínuos, tranqüilos, mas insistentes, sem deixar o mínimo de espaço para outras palavras! Scott pensa: onde estão as orações que habitualmente dirigia a Jesus ? Parece que há uma outra pessoa que reza nele, com aquelas palavras que nunca foram as suas! Alem disso, nos dias anteriores, se o grupo se reunia para rezar o Rosário, Scott mantinha-se rigorosamente afastado.

            Situação das mais surpreendentes: todos os católicos estão a adorar Jesus e o único protestante do grupo encontra-se a rezar para Maria!

            Depois chega a hora da Missa na Igreja de São Tiago. Scott senta-se ao lado de sua mulher Teresa nos bancos da direita. No momento da Comunhão, os numerosos concelebrantes descem do coro em direção à assembléia, trazendo os Cibórios, começam a distribuir a Comunhão aos fiéis que estão de pé ao longo dos corredores.

Junto de Teresa, Scott também espera com os braços cruzados sobre o peito. Teresa recebe a Comunhão e o padre tira automaticamente outra Hóstia do cálice e sem mesmo olhar a eleva em direção a Scott. Ao perceber que ele está de braços cruzados, entrega a Hóstia à pessoa seguinte sem se dar ao trabalho de abençoar Scott. Este volta para seu banco e ajoelha-se para rezar. Está desiludido, quase magoado... Volta-se para Teresa:

- Viste ?
- Sim...
O ambiente é pesado. Dois outros padres aproximam-se de sua direção e Scott pergunta a Teresa:
0 Tento outra vez ?
- Sim, sim!
Scott levanta-se e o primeiro padre coloca as mãos sobre sua cabeça dando-lhe uma benção sincera, vinda do coração.

Scott torna a ajoelhar-se, mas o segundo padre, que é o Padre Fred, abençoa Scott muito lentamente, desenhando o Sinal da Cruz com a Hóstia.

Nesse momento Scott começou a tremer. O Padre Fred que veio abençoá-lo, que o conhece e que já passou com ele os seis dias de peregrinação desapareceu.: Scott vê agora Jesus no lugar do Padre Fred!

Ao olhar para o rosto de Jesus, Scott foi tomado por uma grande emoção, e pelo grande ato de  compaixão que ele era alvo. Nunca tinha visto tal coisa antes!

Caminhando desajeitadamente, Scott deixou-se cair no banco, cobriu o rosto com as mãos e começou a chorar em silêncio.

Ninguém poderia imaginar a extraordinária experiência que Scott está vivendo. Só ele viu, só ele sabe. Terminada a Missa, sai da Igreja amparado por Teresa que, sem saber do que se trata, compreende que Deus tocou o seu marido. Os dois sentam-se num banco fora da Igreja de São Tiago. Envolve-os um silêncio profundo. Scott não é capaz de pronunciar uma palavra e Teresa respeita. Ela espera calmamente, enquanto seu coração bate descompassadamente.

Quando Teresa ouve a confidência de Scott compreende porque ela própria recebeu uma unção tão forte no momento da benção e não conseguia parar de chorar.

No dia seguinte, último dia de peregrinação, Scott vai só para a colina das aparições. Ajoelha-se no local da primeira aparição e suplica à Virgem Santa para o guiar, para lhe indicar o que fazer, o que dizer diante da visão que teve de Jesus na Igreja.

No aeroporto de Dubrovnik, Scott decide abrir o coração ao Padre Fred. Ao ouvir o segredo, o Padre abaixa os olhos, hesita, segura o queixo com a mão e exclama:

- Que graça! Que benção recebeste! Guarda-a como um tesouro e partilha-o com os outros! Para mim é um grande privilégio ter sido o instrumento de Deus numa tal graça!

O padre agarra Scott pelos ombros e reza, por um momento em silêncio. Depois diz-lhe com um sorriso simpático:
- Então agora já reconheces que na Comunhão recebes verdadeiramente o Corpo de Cristo e não um sinal simbólico ?

De volta ao Reino Unido, Scott e Teresa reencontram os amigos e Scott avança corajosamente como testemunha: partilha seu segredo com quem quer ouvi-lo. Quem não acreditaria ? Mudou tanto em tão poucos dias! A sua vida nunca mais será a mesma!

- Cada vez que fecho os olhos, explica ele, vejo a Face de Jesus, uma Face cheia de amor e compaixão, é comovente! Todos temos imagens de Jesus e da Virgem Santa em nossas casas. Nós olhamos, mas quantos de nós compreendem que Jesus e Maria também nos olham ?!

Alguns perguntam-me: “Porque você ? Nem mesmo és católico !” Para esta pergunta não encontro resposta. Mas se esta visão me foi dada para lembrar àqueles que comungam, que recebem verdadeiramente Cristo na Hóstia, então a mensagem foi recebida!

Desde o dia 10 de outubro de 1999º dia da visão em Medjugorje, Scott nunca mais teve uma experiência espiritual deste gênero. Como qualquer outra pessoa pede a Deus que continue a orientar a sua vida diária enquanto faz sua caminhada com Jesus.

No dia 9 de setembro de 2000, Scott foi acolhido na Igreja Católica.

Agora encontra-se à frente do conselho pastoral da igreja do Santo Redentor. Com grandes conhecimentos em informática, aproveita todas as ocasiões para difundir as mensagens de Medjugorje.

Trecho do livro “O menino escondido de Medjugorje” – Irmã Emmanuel – Editora DIEL – Portugal - 2008