A TRAGÉDIA DAS SEITAS - Elas crescem devido a ignorância e a falta de amor profundo a Jesus Cristo

As seitas são os grandes desafios para justiça e a fé cristã no terceiro milênio.
Vamos ver ainda grandes tragédias cometidas pelas seitas sem precedentes na história do mundo.
É muito vasto o campo das seitas. Temos seitas cristãs, orientais, secretas, satânicas, agnósticas, pseudo-científica e científica.
Fanatismo, intolerância, fundamentalismo e apocalipticismo, são ingredientes principais das seitas.
Na base está o psiquismo dos líderes que manipulam, alienam o grupo, nidificando em suas mentes o medo, as catástrofes e o fim do mundo.
As seitas crescem devido à ignorância, a angústia e a falta de amor profundo das pessoas em Jesus Cristo.
            Todas as religiões têm suas seitas e todas as seitas têm seus partidos rivais.
            A pregação das seitas é marcada pela calúnia, difamação, condenação e crítica contra tudo e contra todos. Somente eles são os melhores, os salvos, e os intocáveis. Eles são “os escolhidos de Deus” e os outros “são filhos do capeta”.
            Os líderes sectários são doentes pelo poder, pelo dinheiro, pela política, pela fama e pela luxúria.
            Exigem muitos dos seus fiéis, arrecadando enorme quantidade de dinheiro, e assim, constrói o seu império religioso e financeiro.
            A ganância pelos bens terreno se vê na soberba dos seus títulos: bispo, apóstolo, profeta, messias, super iluminado, reencarnação de um grande líder religioso, chefe supremo, neo-Cristo e vice-Deus.
            As seitas não gostam do mundo, todavia, tiram proveito dele.
            Aqui entra a idiossincrasia delas em relação ao mundo. Este tem o julgamento formado e deformado sobre as seitas porque elas são preconceituosas com o mundo. A ideologia das seitas sobre o mundo é uma babel  terrificante.
            Dependendo do grupo sectário, não existe em sua cartilha o terço e sim o terrorismo, tragédia e fatos com fins obscuros.
            Por isso e outras coisas mais, deve-se evitar qualquer que seja o contato com as seitas.
 
FANÁTICO MATA A MULHER
 
            Um crime bárbaro chocou Miguel Pereira (RJ). Elizabeth Duhau Rego, 37 anos, foi morta a facadas pelo marido, João Inácio dos Santos, 45, no sábado, mas seu corpo foi mantido na cama do casal, na Rua Ligia Cinta Esquinazi, Recanto dos Eucaliptos, até ontem, quando o assassino se apresentou na 96ª DP (Miguel Pereira) e confessou o crime.
            Os policiais chegaram a duvidar do depoimento até encontrar o corpo. Inácio entregou a arma do crime, uma faca de cozinha, e disse ser freqüentador de uma seita que não permite a doação de sangue. Em uma conversa, a mulher teria dito que, se necessário, doaria para salvar uma vida.
            “Ele disse que era o vingador de Jeová”, disse um policial.
            Inácio afirmou que, na cadeia, pretende estudar Direito para se defender no julgamento e que pretendia matar outras pessoas que descumprissem as doutrinas de sua seita. (1)
 
 
 
NÃO AO DIABO E SIM PARA DEUS
 
            São Paulo Apóstolo escrevendo para os cristãos de Éfeso, exortou de maneira categórica: “Não deis lugar ao diabo” (Ef 4,27).
            São Pedro Apóstolo aconselha de forma magistral: “Sede sóbrio e vigilante! Eis que o vosso adversário, o diabo, vos rodeia como um leão a rugir, procurando a quem devorar. Resisti-lhe, firmes na fé, sabendo que a mesma espécie de sofrimento atinge os vossos irmãos espalhados pelo mundo” (1 Pd 5,8.9).
            Afirma Santo Ambrósio: “Quem se entrega a Deus não teme ao demônio”.
            O diabo é a expiração das seitas. O mal das seitas se fundamenta nos demônios.
            Quem não tem a sua vida nas mãos de Deus, se torna presa fácil nas garras das seitas e seus demônios.
            A vida só pode estar segura e protegida das seitas, quando a sua fé está em Cristo, no seu Evangelho e na Santa Igreja de Deus.
            Se a sua vida não tem lugar para o bom Deus, sobra espaço para o diabo e a tragédia de suas seitas.
 
MÃE MATA O FILHO NUM RITUAL SATÂNICO
 
            Maria Lúcia Rufino, de 43 anos, esfaqueou e matou o filho, Leonardo Macedo Gadducci, de 19, em um ritual satânico. O crime ocorreu durante a tarde no apartamento da família, no bairro do Jaguaré, zona oeste de São Paulo.
            De acordo com uma vizinha que não quis se identificar, Maria Lúcia, que não tinha religião, começou a bater de porta em porta chamando as vizinhas para rezar. “Ela gritava que naquele dia o ‘mal estava solto’. Depois, começou a pisotear a Bíblia e dizia que o filho deveria ser morto por um bem maior. Estava transtornada. Começamos a rezar, mas ela não se acalmava, falava coisas desconexas, em disco voador, em Barack Obama, no sacrifício do filho, em demônios. Ficamos assustados e chamamos a polícia”, conta a vizinha.
         Quando os policiais chegaram ao local, a porta do apartamento estava trancada. “Bateram, chamaram e nada. Depois de meia hora, os policiais ouviram gritos e invadiram o local. Ela estava deitada sobre o rapaz, esfaqueando-o. Foram 15 facadas só no pescoço fora as dos tórax. Foi preciso a força de seis policiais para que parasse”, conta a delegada Nair Silva Castro, responsável pelo caso. Ela reforça ainda que Maria Lúcia estava consciente da morte dele e não demonstrou arrependimento. “Ela confessou o assassinato e disse que o sacrifício era necessário. A avaliação dos médicos é de que a acusada não é louca, e que, quando começa a falar coisas desconexas, ela finge”, relata Nair.
            No apartamento, a polícia investigou os computadores da família. Neles, descobriu que a mulher fazia parte de grupos que adotam a prática do sacrifício humano. Um deles, no qual trocava informações, pertencia à rede de relacionamento Orkut. A vizinha que estava no momento da reza conta que, antes do surto, Maria Lúcia havia ficado 4 dias trancada em casa pesquisando na internet. “Ela nem dormia direito”, diz. (2). 
  
ADOLESCENTE É VÍTIMA DO SATANISMO
 
            Aos 15 anos, uma menina romântica e carinhosa que dançou valsa com o pai em sua festa de debutantes e tomava conta da irmã caçula, portadora de paralisia parcial no corpo. Um ano depois, veio a transformação. Tatuagens com cruzes nas pernas e braços, tridente gravado no antebraço e o número “7” nas costas, dois piercings, cabelos cortados com franja. E a sujeição absoluta a uma seita de adoradores do demônio, que vão a cemitérios ingerir bebidas alcoólicas e fazer sexo.
            Esta é a trajetória da estudante Glayce Kelly Soares de Oliveira, de 16 anos, moradora de Campo Grande, zona oeste do Rio de Janeiro, desaparecida da Assembléia de Deus do bairro, ela largou o namorado, a escola e a religião pela seita. Após o assassinato da jovem Rosane Nunes Lopes, também de 16 anos, em ritual no cemitério de Ricardo de Albuquerque, na semana passada, os pais de Glayce entraram em pânico.
            __Ela não conseguia mais ficar em casa um dia sequer. Era meiga e comunicativa, tornou-se fechada. Nós sempre fomos amigos. De repente começou a se afastar. Só usava roupas escuras, emprestadas dos amigos, porque a gente não dava mais dinheiro a ela. Cortou o cabelo com franja e só queria ir aos lugares sozinha, diz o pai, o costureiro Ronaldo Nunes de Oliveira, de 37 anos.
            A mãe, Marina Soares de Oliveira, de 35 anos, se desesperou ao encontrar descrições de rituais com adoração a entidades malignas entre os papéis da filha. (3).
           
 
40 MIL DESAPARECIDOS
 
            Em todo o país, estima-se que mais de 40 mil crianças e adolescentes desaparecem anualmente, sendo 9 mil delas no Estado de São Paulo. 20% no Rio de Janeiro, segundo lugar no ranking dos Estados. Cerca de 85% dos menores que desaparecem fugiram de suas casas por causa de suas famílias desestruturadas, explica a psicóloga Eliane Bernardelli, do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Secride), em Curitiba – PR (4).
            Cerca de 15%  não são localizadas. Mas de 40% instituições no Rio de Janeiro se unem para ajudar nas buscas por crianças e adolescentes desaparecidos (5).
No domingo, 07/12/2008, o jornal do Brasil publicou uma reportagem sobre a realidade trágica dos jovens desaparecidos – a maioria é pobre e 75% deles fogem de casa e acabam em poder de redes de tráfico de drogas ou de exploração sexual.
            27 mulheres – bombas, entre 15 e 35 anos morreram no Iraque na primeira metade de 2008. Quase todas tinham parentes do sexo masculino mortos na guerra.
            “Jovens alienados e ressentidos são alvos mais fáceis a serem recrutados para o terrorismo”, afirma Richard Benett, analista em segurança e inteligência britânico (6).
            A pior pobreza do ser humano é a ausência de Deus e depois a boçalidade.
            As seitas alienam e desumaniza mais que qualquer outro sistema ideológico pernicioso.
            As seitas para arrebanhar e dominar seus adeptos aposta todas as suas cartas na desatinação dos problemas individuais e mundiais das nações.
            Enquanto pior melhor para legitimar suas profecias pessimistas e desastrosas.
            Requer urgentemente dos verdadeiros cristãos a pregação do Evangelho de Cristo para livrar a nossa sociedade do perigo das seitas e conscientizar as pessoas das injustiças sociais e proporcionar segurança e consolo na fé em Jesus Cristo e na sua Santa Madre Igreja.
            Temos que conscientizar o mundo inteiro que não existe amor, comunhão e respeito no arraial das seitas. É muito claro ver isso na imensa divisão delas, na riqueza dos seus líderes e no descaso com os pobres.
            “O amor evangélico é o grande ausente das seitas”, afirmou o pregador da Casa Pontifícia Padre Dr. Raniero Cantalamessa (7).
 
CONCLUSÃO
 
         As seitas causam uma grande confusão na cabeça das pessoas. Desarruma famílias, divide o Corpo de Cristo, transtorna a ordem pública e fundamentalizam em suas práticas.
            Cometem erros graves na interpretação da Bíblia, nos dogmas teológicos e nas questões sociais, ensinam a reencarnação e negam as doutrinas cardeais da fé cristã.
            Dependendo da seita, a Bíblia não é a Palavra de Deus, apenas contem. Ao lado da Bíblia, sempre há livros de usos e costumes como também: visões, revelações e profecias do líder fundador que servem como doutrina radical para salvação dos seus fiéis.
            Os erros teológicos sempre aparecem na pessoa de Jesus Cristo e do Espírito Santo e na eclesiologia os grupos sectários são unânimes em condenar a Igreja Católica, todavia, eles tiram proveito dela, e eles esquecem que “todo reino dividido contra si mesmo não subsistirá” (Mt 12,25).
            “Quem não se ajunta com Cristo, se espalha” (Mt 12,30). Daí a babel das seitas e a sua ruína (Judas 18.19).
            Nas questões sociais, as seitas entendem que os acontecimentos são cumprimentos proféticos eminentes do fim do mundo. Com o passar do tempo, os fatos são desmentidos.
            A babel doutrinária das seitas é insuportável para uma boa consciência. Aqui está o que é mais abominável para à santíssima fé cristã.
            Tem seitas que o batismo é feito no tanque, outra só é válido no rio, uma guarda o sábado, a outra que detesta feriado da pátria e do Natal, não crê na Trindade e não doa sangue; uma batiza pelos mortos, outra crê na reencarnação; uma crê no batismo com o Espírito Santo e língua estranha, a outra vê nisso uma heresia; uma crê na predestinação como fator de salvação, outra no livre-arbítrio; uma batiza criança, a outra só vê o batismo de adulto como verdadeiro; uma a celebração da ceia é consubstancial, a outra é simplesmente simbólica; uma crê que a salvação é por meio de fá e da graça, sem as obras, todavia, na sua seita que isso se realiza e não na outra. Outra ensina que a riqueza e a saúde são provas que o crente é salvo. Esta tem como fundamento a teologia da prosperidade. Outra prega a soteriologia pelagiana.
            O governo das seitas é ditatorial e oligárquico.
            Uma ensina a visão celular, no modelo dos 12, outra na visão celular sem o modelo dos 12. Aqui entra a manipulação discipular e a lavagem cerebral.
            Com o passar dos tempos ás seitas se afastam cada vez mais dos dogmas cristãos, do espírito comunitário e das transformações sociais. Algumas navegam no mar da libertinagem e outras se escondem na caverna das opressões, cerceando a liberdade de seus adeptos.
            Devido o pouco conhecimento bíblico e teológico, ou nenhum das seitas – várias condenam as ciências teológicas – faltando assim conteúdo em suas pregações, logo parte para o ataque e críticas pejorativas contra a Igreja Católica e o mundo.
            É desta forma pecaminosa que as seitas arrebanham os tolos.
 
Pe. Inácio Jose do Vale
Pároco da Paróquia São Paulo Apóstolo
Professor de História da Igreja
Faculdade de Teologia de Volta Redonda
E-mail: pe.inaciojose.osbm@hotmail.com
 
 
 
NOTAS:
 
(1)   O Dia, 05/11/2008, p.11.
(2)   Folha Universal, 23/11/2008, p.4.
(3)   Extra, 07/12/2008, p.16.
(4)   Jornal do Brasil, 11/02/2008, p. A5.
(5)   Jornal do Brasil, 08/12/2008, p. A15.
(6)   Jornal do Brasil, 05/12/2008, p. A22.
(7)   Roma, Sexta-feira, 11 de Abril de 2008. (Zenit.org).
Ultimato, Nov/Dez de 2008, p.18.