LOCUÇÃO INTERIOR

LOCUÇÃO INTERIOR

FENÔMENO MÍSTICO DE COMUNICAÇÃO DO CÉU

Antes de tudo deve se afirmar que não é um fato estranho, nem sensacional, mas é um fenômeno mítico presente na vida da Igreja e descrito nos manuais de teologia espiritual.

Não é uma comunicação com JESUS, N. Senhora ou os Santos e Anjos, através dos sentidos, como acontece nas verdadeiras Aparições, quando os escolhidos de DEUS entram em estado de "êxtase", ou seja, são abstraídos de sua interioridade e também da realidade exterior. Nela (locução interior) não se vê com os olhos, não se ouve com os ouvidos, não se toca nada; não é, também, somente uma boa inspiração, ou a Luz que o ESPÍRITO SANTO derrama, ordinariamente, na mente e no coração dos que rezam e vivem de Fé.

Quando se trata de um fenômeno autêntico, a locução interior é o Dom de tudo o que DEUS quer fazer conhecer e ajudar a cumprir, revestindo-o de pensamentos e palavras humanas, conforme o estilo e linguagem de quem recebe a mensagem.

A pessoa se torna instrumento de comunicação, embora conservando intacta a própria liberdade (não em estado de êxtase), que se manifesta num ato de adesão a ação do ESPÍRITO SANTO. Enquanto acolhe a palavra do Senhor, seu intelecto permanece como que inativo, não vai a procura dos pensamentos, nem da maneira como expressá-los, como acontece, por exemplo, a quem prepara um discurso importante ou escreve uma carta; é realmente um ditado.

São João da Cruz chama de locuções, ou palavras sobrenaturais formais, as palavras distintas que o espírito recebe, não de si mesmo, mas de uma outra pessoa, estando ou não recolhido.

Tanquerey define as locuções ou palavras sobrenaturais como manifestações do pensamento Divino, apreendidas pelos sentidos internos ou externos.

Pode-se então, assim definir as locuções: "São palavras claríssimas, percebidas pela pessoa que as recebe como se nascessem do coração, as quais, unidas entre si, formam uma mensagem do Céu. O chamado do Céu, é quase sempre de improviso, é o Senhor , N. Senhora, os Anjos ou os Santos que tomam a iniciativa do momento e do conteúdo da mensagem."

Para distinguir as locuções autênticas das espúrias, que são fruto de engano deliberado, de mórbida auto-sugestão ou até mesmo da interferência dos demônios, há normas muitos precisas. A literatura nesse ponto, não é rica, nem atualizada; ajudam-nos os escritos dos grandes místicos como: São João da Cruz, Santa Tereza d'Ávila, Santo Inácio de Loyola, Santa Catarina de Gênova e Santa Catarina de Sena.

Também os estudos e tratados de Tanquerey, Royo Marin, A. Poulin, G. Lagrange dentre outros. Mais difícil é avaliar o peso de elemento humano de que se reveste a inefável Palavra de DEUS, para chegar a compreender o que a mensagem contém de essencial, universal e enfim, de Divino.

Alguns exemplos autênticos de locução interior: Os profetas do Antigo Testamento, Santa Catarina de Sena, Pe. Stefano Gobbi, dentre outros.