NOVA ERA - Religiões, seitas, doutrinas e filosofias a seu serviço em todo o mundo

A religião oficial do novo governo mundial será, a Nova Era. No que consiste este movimento, que alguém qualificou de "AIDS espiritual" do nosso tempo, e suas idéias básicas, você verá a seguir. Embora a Nova Era se apresente como uma religião, na verdade não passa de um caldo religioso, formado por idéias tomadas de muitas religiões. Segundo Randal Baer, ex-chefe do movimeto, "a Nova Era é essencialmente o renascimento massivo, controlado por Satanás, de filosofias e práticas não cristãs.

 

A pedra angular do que poderíamos denominar como seu 'humanismo espiritual' é a crença na natureza divina do homem, que, por conseguinte, é Deus, um Deus-homem iluminado... O homem transforma-se assim na sua própria deidade".

 

A Nova Era tem um credo fundamental que diz: 'crie sua própria realidade, de acordo com o que o faz sentir-se bem. Por exemplo, se alguém escolhe ser homossexual, bissexual, monógamo, polígamo ou qualquer outra coisa, pode fazê-lo, desde que 'seja bom para mim' e desde que 'seja feito com amor e não prejudique a ninguém'".

 

Ainda segundo Baer, existem duas escolas principais de pensamento da Nova Era: a do Renascimento do Conhecimento e a do Salto Quântico do Conhecimento. A primeira considera que hoje "a humanidade está entrando num despertar espiritual e sócio-político, num super-renascimento que conduzirá o homem a uma nova era de esclarecimento humanista espiritual". Segundo essa escola, o homem não precisa de ajuda divina para fazer o Céu se manifestar na Terra.

 

É suficiente "despertar em si o deus humano potencial e ilimitado. Quando, pelas práticas da Nova Era, os homens alcançarem níveis mais elevados de 'conhecimento divino', o Céu amanhecerá sobre a Terra. A Segunda escola - a do Salto Quântico do Conhecimento - nos diz que estamos à beira de um mundo novo.

 

Num abrir e fechar de olhos, o conhecimento coletivo da humanidade dará um salto quântico para os céus. Isto acontecerá quando um determinado número de pessoas for capaz de produzir um impulso suficiente para o mundo inteiro dar este salto coletivo para uma dimensão superior.

 

Esta escola também afirma que, na Nova Era, não será Cristo quem terá autoridade divina, e sim o 'Mestre Mundial' ou o 'Conselho dos Mestres Ascensos". Outra afirmação desta escola é que não será o Jesus visível, em pessoa, que voltará, e sim o 'conhecimento de Cristo', que descerá às mentes de todos os habitantes do mundo".

 

 

Estranho Deus

 

Para confundir as pessoas, alguns grupos da Nova Era usam uma linguagem parecida com a dos cristãos, mas o sentido das palavras é outro. Por exemplo, ao dizerem "Deus", não pensam no Deus Criador e Pai da nossa fé, e sim num "deus" que é uma força e uma energia cósmica, a qual se manifesta através do vento, das ondas, das estrelas, de uma águia, mas também de um verme. Com a morte, cada ser se dissolve na força cósmica, como uma gota de água no vasto mar. Um Deus pessoal é simplesmente descartado.

 

Como se vê, o conceito de Deus da Nova Era não é tirado da Bíblia e sim de religiões sumérias, indianas (budismo e hinduísmo), egípcias, babilônicas, persas.

Para eles, escreve Jefrey Steffon, "tudo quanto existe é Deus (panteísmo). O ser humano é parte desse todo divino, portanto, ele é divino. Não há diferença entre Deus, um ser humano, uma cenoura ou uma pedra.

 

Todos são parte de uma realidade contínua, sem fronteiras nem divisões (holismo ou realidade única global). Segundo a Nova Era, as pessoas ignoram sua realidade divina. Para se conscientizarem da sua divindade, elas precisam alterar a própria consciência", através de terapias psicológicas, drogas, dietas, ioga, acupuntura, cristais, magia, espiritismo, feitiçaria, astrologia, bruxaria, piramidologia, angelologia (= anjos cabalísticos), mantras, óvnis extraterrestres, controle mental e, como não?, através de qualquer tipo de promiscuidade sexual... colocando sempre, como pano de fundo, a reencarnação, acompanhada do tantrismo, da mística sufista-árabe e dos antigos ritos ocultistas dos celtas, germanos, tibetanos, egípcios.

 

"Através dessas técnicas de alteração da consciência - explica ainda Sttefon - chega-se à percepção de que o verdadeiro Deus é o eu pessoal da cada um. Tal experiência leva a uma transformação individual, a qual, por sua vez, conduz à evolução planetária e à harmonia global. Quando as pessoas experimentarem sua divindade, o mundo se transformará, e a humanidade entrará na Era de Aquário".

Este é o conceito de "espiritualidade" da Nova Era. Enquanto para nós cristãos, ela consiste na amizade com Deus pela oração e o conhecimento de Cristo, para eles se resume nesses exercícios de concentração, hipnose, etc.

 

 

O que significa o nome "Nova Era"?

 

O nome "Nova Era" esta em evidente relação com o nome "Era Cristã".

A "Era Cristã" é o tempo desde o nascimento de Jesus Cristo em diante. Tornou-se comum entre os homens contar a História dividindo-a entre " antes de Cristo" e "depois de Cristo". "Antes de Cristo" descreve todos os fatos acontecidos no mundo inteiro antes da vinda de Jesus a terra.

 

"Depois de Cristo" descreve todos os fatos acontecidos no mundo depois que Filho de Deus se fez Homem. Com esta forma de contar os anos ficou destacado o fato de que Jesus Cristo é o Senhor do mundo, o Senhor da História. que "Jesus Cristo é sempre o mesmo: ontem, hoje e por toda a eternidade" Hb 15,8.  A "Era Cristã" e considerada, pelos adeptos da "Nova Era" , como "Era de Peixes" (Símbolo do Zodíaco). Por quê? Conforme a astrologia, estudo da situação dos astros e o quanto eles podem influenciar a vida humana na terra; as eras do Zodíaco vão sucedendo; está terminando a Era de Peixes e deve começar, em breve, a Era de Aquário. 

 

Os anos estão agrupados em séculos e os séculos em eras. Cada era tem a duração entre 2.000 anos a 2.150 anos. Segundo os astrólogos, já tivemos a Era de Touro entre 4.304 a 2.154 a.C.; a Era de Carneiro entre 2.154 a.C. ao ano do nascimento de Jesus Cristo; e a Era de Peixes do ano de nascimento de Jesus Cristo até 2.000 d. C.  Segundo alguns, a Era de Aquários já teve inicio em 1962. Como quer que seja, a era de Peixes e identificada com a era Cristã , visto que o peixe era, para os cristãos antigos, o símbolo de Jesus Cristo e dos cristãos, antes que o símbolo dos cristãos fosse a cruz. 

 

A era de Aquário vem "sepultar" a era Cristã. Esta "nova era", portanto, realizará o que o seu nome indica: "derramamento de água" sobre o mundo para simbolizar a vinda de novo espírito ou nova mentalidade. Este espírito provocará nos homens uma "expansão de consciência", com a ajuda de psicotécnicas, ioga, meditação... E, esta iluminação das mentes possibilitará "uma vida sem dificuldades nem problemas"... É a era do homem sem Deus, que se coloca no lugar de Jesus Cristo; a era do homem com poder anti-divino para construir uma nova ordem mundial no domínio do mundo inteiro.

 

 

Objetivos do movimento

 

- Eliminar as religiões, especialmente a religião cristã, e criar uma única "super - religião" ;
- Eliminar a família tradicional, como instituição ligada rnais estreitamente ao cristianismo;
- Criar uma nova ordem política, eliminando as fronteiras;
- Implantar uma única economia e um único sistema monetário;
- Implantar um único Governo Mundial.

 

 

A Suave conspiração

 

Maryn Ferguson uma das representantes da Nova Era nos Estados Unidos, escreveu no livro intitulado "A Suave Conspiração", que está para acontecer uma transformação inevitável, no mundo. São suas as palavras: "Primeiro realiza-se uma transformação particular. Depois estas pessoas transformadas vão transformando outros. Assim acontecerá a transformação desta sociedade árida."

Segundo Maryn Ferguson o processo da transformação das pessoas acontece em quatro passos:

 

O primeiro passo é a SUBIDA: O primeiro impulso é dado através de uma conferência nos grupos de introdução no movimento. Por exemplo: Há os grupos de Experiência de autocrítica", grupos de Meditação, grupos da Pró-Vida, grupos de treinamento sensitivo, grupos de Auto-análise, de Relações interpessoais, Seminários de Potencial humano e muitos outros por toda parte.

 

Depois do impulso dado nesses Cursos e encontros a pessoa é introduzida numa experiência intensiva. Ela aprende a deixar, a renunciar todo o pensar tradicional. Começa então a Psicotécnica e a meditação principalmente pelo "Zem"e a Ÿoga". São feitos exercícios respiratórios de relax e dança, especialmente a bio-dança. Este é o momento da penetração mais profunda nas idéias do movimento.

 

O segundo passo é o ESTUDO DA FONTE: A pessoa chegou à fonte, agora precisa ampliar seus conhecimentos através do ESTUDO DA "FONTE ESPIRITUAL". Neste estudo ela será sempre auxiliada por um "mestre experiente".

 

O terceiro passo acontece a INTEGRAÇÃO TOTAL: É uma espécie de "noviciado". A pessoa é levada a um templo de silêncio e recolhimento para assimilar as idéias.

O quarto passo é chamado "DEGRAU DA CONSPIRAÇÃO": Neste quarto passo a pessoa chega à "NOVA CONSCIÊNCIA’ da necessidade da ação para a transformação mundial da sociedade. Neste passo a pessoa está pronta a dar tudo pela "Nova Era".

 

Ouve-se por toda a parte a propaganda da CURA PELA MEDITAÇÃO. Nestas sessões de cura as pessoas são levadas à meditação, à concentração profunda repetindo por algum tempo um "mantra". Isto é, repete-se ou canta-se sempre a mesma frase, as mesmas palavras. Geralmente levam vinte minutos repetindo um mantra, fazendo ao mesmo tempo exercícios respiratórios. São obrigados a fazer isto todas as noites e todas as manhãs.

 

Na Alemanha foi feita uma experiência pública no dia da "Cura Mundial", em 31 de dezembro de 1986. A pessoa que dirigia a meditação falava em voz alta e todos repetiam: "Eu sou o criador com Deus... O novo céu está chegando, porque a vontade de Deus é expressa através de mim... Eu sou o Cristo de Deus... Deus é tudo... e tudo é deus... Deus é a essência pura do meu ser... Eu sou a luz... a luz do mundo... Eu sou a luz do mundo... Deus está em mim... Eu sou Deus..."

 

 

Como deve ser a Nova Religião?

 

A Nova Era apresenta um novo sistema religioso como mistura dos elementos comuns das religiões e filosofias de todo o mundo antigo e atual: religiões da Pérsia, Grécia, Índia, Roma antiga; Budismo(1), Bramanismo(2), Hinduísmo(3), Confucionismo(4), Xamanismo(5), Espiritismo(6), Islamismo(7), Taoísmo(8), Judaísmo(9), Cristianismo(10) e outras. Afirma que todas elas estão esperando por um "líder", por exemplo, os cristãos aguardam Cristo, os muçulmanos aguardam a reencarnação de Buda, etc. Segundo afirma a Nova Era, todos esses "lideres" esperados representam uma única e mesma pessoa, a quem eles chamam de Maitreya (um novo " messias").

 

1 - Budismo: Sistema ético, religioso e filosófico fundado por Siddharta Gautama, o Buda (Ásia Central, 563-483 a. C.), difundido por todo o leste asiático, e que consiste fundamentalmente no ensinamento de como, pela conquista do mais alto conhecimento, se escapa da roda dos nascimentos e se chega ao nirvana. Por volta do séc. III separaram-se dois ramos diferentes: o budismo hinaiana e o budismo maiana; o Hinaiana: Ramo ortodoxo do budismo, também chamado pequeno veículo, e que se espalhou pelo sul da Ásia; o Maaiana: Ramo do budismo, também chamado grande veículo, difundido principalmente por todo o norte da Ásia, e que se opõe ao budismo primitivo por considerar que, muito embora a aspiração final deva ser o nirvana, deva este, por compaixão, ser adiado, a fim de que o sábio possa dedicar-se a ensinar aos outros o caminho da salvação. Budismo zen.

 

2 - Bramanismo: Organização religiosa política e social dos brâmanes, votada à utilização litúrgica do Veda, que é um conjunto de textos sagrados - hinos laudatórios, formas sacrificiais, encantações, receitas mágicas - que constituem o fundamento da tradição religiosa (do bramanismo e do hinduísmo) e filosófica da Índia.

 

3 - hinduísmo: Religião atual da maioria dos povos indianos, resultante de uma evolução secular do vedismo e do bramanismo, que se transformaram pela especulação filosófica e pela integração de cultos locais. Constitui o hinduísmo ampla manifestação cultural, expressando-se por uma riquíssima literatura de sentido poético-religioso, na qual se cristalizaram numerosos preceitos relativos à vida cotidiana e à organização social, e se desenvolveram, através dos séculos, vários sistemas teológico-filosóficos.

 

4 - Confucionismo: Doutrina ética e política de Confúcio (Kung Fu-tze), filósofo chinês (551-479 a. C.), e de seus seguidores, a qual por mais de dois mil anos constituiu o sistema filosófico dominante da China. Caracteriza-se por situar o homem e a experiência social e política da humanidade no centro da investigação, daí resultando a definição das relações humanas individuais em função das instituições sociais, principalmente da família e do estado.

 

5 - Xamanismo: Religião de certos povos do Norte da Ásia, baseada na crença de que os espíritos maus ou bons são dirigidos pelos xamãs; também é a religião de certas tribos indígenas norte-americanas e a dos esquimós, de crença semelhante à do Xamanismo.

 

6 - Espiritismo: Doutrina baseada na crença da sobrevivência da alma e da existência de comunicações, por meio da mediunidade, entre vivos e mortos, entre os espíritos encarnados e os desencarnados.

 

7 - Islamismo: Religião fundada por Maomé (570-652) seus seguidores são chamados de muçulmanos.

 

8 - Taoísmo: Ensinamento filosófico-religioso desenvolvido sobretudo por Lao-tse (séc. VI a.C.) e Tchuang-tseu (séc. IV a.C.), filósofos chineses, cuja noção fundamental é o Tao - o Caminho - que nomeia o grande princípio de ordem universal, sintetizador e harmonizador do Yin e do Yang, e ao qual se tem acesso por meio da meditação e da prática de exercícios físicos e respiratórios.

 

9 - Judaísmo: Ambiente social, cultural, político e religioso do povo hebreu, formado a partir da volta do exílio babilônico (538 a.C.), e no qual se formou o cristianismo. Judaísmo alexandrino: Tipo de judaísmo profundamente influenciado pelo pensamento grego.

 

10 - Cristianismo: O conjunto das religiões cristãs, baseadas nos ensinamentos, na pessoa e na vida de Jesus Cristo: o catolicismo, o protestantismo, e religiões ortodoxas orientais. Protestantes: Diz-se de partidários da Reforma que protestaram contra a decisão da Dieta de Espira (1529). Diz-se de membros de seitas não católicas da religião cristã, com exceção dos ortodoxos. Estes últimos são: Pertencente à Igreja Católica Apostólica Ortodoxa, também chamada Igreja Ortodoxa e Igreja do Oriente, que resultou do cisma da Igreja Católica Apostólica Romana ocorrido em 1054.

 

 

Religiões, Seitas, Doutrinas e Filosofias a serviço da "Nova Era"

 

Astrologia: Pseudo-ciência de predição do futuro pela observação dos astros(horóscopo). Estudo e/ou conhecimento da influência dos astros, especialmente de signos, no destino e no comportamento dos homens.

Cosmogonia: Teoria adotada pelas religiões para explicar a origem evolução dos corpos celestes e do universo. As diversas cosmogonias atribuem as origens cósmicas a um ou mais de um ser transcendental, que exerce também o papel de energia primeira.

 

Esoterismo: Doutrina ou atitude de espírito que preconiza que o ensinamento da verdade, através de símbolos, alegorias e meditação (científica, filosófica ou religiosa) deve reservar-se a número restrito de iniciados (interno), escolhidos por sua inteligência ou valor moral.

 

Exoterismo: Diz-se de ensinamento que, em escolas da Antigüidade grega, era transmitido ao público (externo) sem restrição, dado o interesse generalizado que suscitava e a forma acessível em que podia ser exposto, por se tratar de ensinamento dialético, provável, verossímil. Doutrina oposta ao Esoterismo que só se revela aos iniciados secretamente.

 

Ecologia: Ramo das ciências humanas, e parte da biologia, que estuda a estrutura e o desenvolvimento das comunidades humanas em suas relações e recíprocas influências com o meio ambiente, e sua conseqüente adaptação a ele. Assim como, novos aspectos que os processos tecnológicos ou os sistemas de organização social possam acarretar para as condições de vida do homem.

 

Gnosticismo: Ecletismo filosófico-religioso cujos adeptos acham que possuem conhecimentos da natureza e dos atributos de Deus. Surgido nos primeiros séculos da nossa era e diversificado em numerosas seitas, e que visava a conciliar todas as religiões e a explicar-lhes o sentido mais profundo por meio da gnose que significa o saber por excelência. Conhecimento esotérico e perfeito da divindade, e que se transmite por tradição e mediante ritos de iniciação. (São dogmas do gnosticismo: a emanação, a queda, a redenção e a mediação, exercida por inúmeras potências celestes, entre a divindade e os homens. Relaciona-se o gnosticismo com a cabala, o neoplatonismo e as religiões orientais).

 

Monismo: Concepção dinâmica da unidade de todas as forças da natureza. Nega a dualidade do espírito e da matéria. É uma doutrina filosófica segundo a qual o conjunto das coisas pode ser reduzido à unidade, quer do ponto de vista da sua substância (e o monismo poderá ser um materialismo ou um espiritualismo), quer do ponto de vista das leis (lógicas ou físicas) pelas quais o Universo se ordena (e o monismo será lógico ou físico).

 

Panteísmo: Sistema filosófico que identifica a divindade com o mundo. Deus é o conjunto de tudo o que existe, tudo é Deus. É uma doutrina segundo a qual só Deus é real e o mundo é um conjunto de manifestações ou emanações; ou também, doutrina segundo a qual só o mundo é real, sendo Deus a soma de tudo quanto existe.

 

Pirâmide: Lugar de encontro entre dois mundos. Estão ligados aos ritos mágicos funerários do Egito. Os alquimistas descobriram nelas a solução do problema da quadratura do círculo, porque ela simboliza a dialética entre a terra e o céu.

Psicodelismo: Tudo que é evidente, exagerado. Diz-se de decoração, roupas, objetos, etc., de cores muito vivas, e totalmente fora dos padrões costumeiros. Diz-se daquilo ou daquele que se distingue do meio tradicional, ou pela decoração, ou pela atitude, ou pela maquilagem, ou pela roupa, etc. Diz-se das drogas que provocam alucinações. Diz-se das alucinações ou visões, em geral coloridas e fragmentadas, que essas drogas provocam.

 

Rosa-Cruz: O sétimo e último grau ou quarta ordem do rito maçônico francês, e que tem por símbolos principais o pelicano, a cruz e a rosa. Seita de iluminados na Alemanha do séc. XVII. Maçom que atingiu o grau de rosa-cruz.

Seicho-No-Iê: Seita de origem japonesa, fundada em 1930. Seus adeptos afirmam que não há verdadeira realidade. Tudo é aparência. Tudo flui e depende da mente. O mal também é ilusão, produto exclusivo da mente humana. Prega o amor como chave, a liberdade como a porta para o mundo prometido da felicidade.

Tarô: Coleção de cartas, em maior número e maiores que as do baralho de jogos, de desenho diverso, usadas sobretudo por cartomantes, com objetivo de adivinhação e magia.

 

Teosofia: Ciência da comunicação com Deus. Conhecimento de Deus. Ciências das coisas divinas. Conjunto de doutrinas, ou sistema religioso-filosóficas, que têm por objeto a união do homem com a divindade, mediante a elevação progressiva do espírito, pelo domínio da matéria e da ordem natural; e, através do conhecimento, o homem recebe uma iluminação que o leva a conhecer a divindade. O termo também é baseado num conhecimento interiormente revelado e místico de Deus e das leis do universo.

 

A teosofia é a fonte principal da doutrina do movimento Nova Era. Afirmam que, o homem tende a voltar à ordem divina de onde saiu. É a doutrina fundamental da teosofia iniciada por Helena Petrovna Blavatsky, mística norte-americana (1831-1891), ligada ao budismo e ao lamaísmo: Religião dominante do Tibete, originada no séc. VII, do Budismo maaiana, associado aos cultos mágicos locais e ao tantrismo, e cujo chefe supremo é o Dalai-Lama. Tramismo é a religião sincrética, derivada do hinduísmo, do budismo e de cultos populares. Se cristalizou por volta do séc. XV, caracterizada pela magia e ocultismo, associado a complexo simbolismo, à iconolatria e à prática iogue.

 

Xamanismo: Sistema de magia. Crença de certos povos do norte da Ásia, de que os espíritos maus ou bons são dirigidos pelos Xamãs(feiticeiros). É também, a religião de certas tribos indígenas norte-americanas e a dos esquimós, de crença semelhante à do xamanismo.

 

Zen: Doutrina budista que ensina a praticar "zasen", isto é, a meditação que forma um estilo de vida e eleva à introspeção intelectual para contemplar a razão de ser da existência. Forma de budismo que se difundiu sobretudo no Japão, a partir do séc. VI, e se vem difundindo no Ocidente, caracterizada por valorizar a contemplação intuitiva (em oposição à meditação racional abstrata) suscitada pelo amor à natureza e à vida, o qual se exercita pela prática de toda espécie de trabalhos manuais e leva ao desenvolvimento da personalidade mediante o conhecimento próprio; budismo zen ou zen-budismo.

 

 

Como iniciou o Movimento "Nova Era"?

 

A própria origem do movimento explica bem o seu caráter... A origem da "Nova Era" (New Age, em inglês), esta ligada ao nome de Helena Petrovna Blavatsky, nascida na Rússia em 1851, naturalizada norte-americana em 1874 e falecida em1891. Nas suas viagens conheceu as doutrinas místicas do Oriente. Era médium espírita, e por dez anos esteve sob o domínio de um espírito demoníaco que ela denomina de "mestre cósmico" ou "espirito cósmico.

 

" Helena P. Blavatsky, é considerada a fundadora do movimento, mas, segundo ela, o plano da criação do movimento não partiu dela, e sim, foi-lhe entregue mediante contato com os "mestres cósmicos", ou seja, durante uma sessão espirita, ela foi "encarnada" por um espirito (da parte do Satanás) . Após 21 dias de êxtase, trancada dentro de um salão espirita, ela recebeu todas as diretrizes do plano que mais tarde iria se chamado de " Movimento da Nova Era."

 

Em conseqüência, no ano de 1875, na cidade de Nova Iorque, foi fundada a Sociedade Teosófica, dentro da qual cultivou-se o Movimento da Nova Era, o qual deveria ser guardado em segredo durante cem anos, segundo os "espíritos cósmicos".  O Teosofismo apresentado por Helena é uma doutrina secreta. Porém, partiu dele a afirmação da existência de poderes divinos latentes no homem; dizem que o homem é um ser divino porque é essencialmente alma. Afirmam também, que é possível reinterpretar o cristianismo mediante uma chave espiritual que foi perdida pelas igrejas Cristãs, mas encontrada por ele.

 

Dizem que o próprio Jesus teria sido esotérico, teria aprendido com os essênicos e transmitido os ensinamentos a seus discípulos prediletos. A sucessora de Helena, após sua morte, foi Annie Béssant, fomentou a expectativa da vinda de um novo messias. Para isto, ela preparou um jovem hindu, dando-lhe formação em todos os sentidos. Quando porém, estava para apresentá-lo ao mundo como "Messias", o pai do jovem denunciou publicamente a farsa. Enquanto isso, o jovem encantado com os prazeres da vida nova-iorquina resolve desistir e abandonar seu falso papel.

 

A terceira presidente da Sociedade Teosófica foi a inglesa Alice Bailey (× 1880 a † 1949) que tendo imigrado para os Estados Unidos ficou sendo reconhecida como suma-sacerdotiza da Nova Era. Ela recebia mensagens de um "Mestre da sabedoria" que havia vivido no Tibete. Estas mensagens psicografadas foram publicadas em numerosos livros como doutrina secreta do "Plano". Visando a "Nova Ordem Mundial" estas transformações iniciaram pelas relações entre a natureza (ecologia) e a sociedade, entre a economia e a ciência. Tudo deve transformar-se para uma grande "unidade plena", total. "Deus e o mundo, o espírito e a matéria, o homem e a natureza, o corpo e alma, o eu o tu, tudo deverá tornar-se uma grande unidade animada de espírito."

 

 

A Nova Era como religião

 

Como o anúncio do Plano da Nova Ordem Mundial, também deveria ser apresentado o "Cristo da Nova Era" que vai fundar ou já fundou a nova religião mundial. Na Alemanha ele foi anunciado em 1982. Revistas e jornais trouxeram páginas inteiras dizendo: "Cristo agora está entre nós. Ele não vem para nos julgar, mas para ajudar a humanidade e inspirá-la. Ele é Maitreya, o "educador" da nova geração humana".

 

Vive num lugar desconhecido; somente alguns dos discípulos mais próximos sabem onde ele se encontra. Seu precursor é o escocês chamado Benjamim Creme. O centro de planejamento quando o movimento ainda estava oculto em Nova Iorque, era o "Lucis Trust"(Editora Lúcifer), hoje o movimento conta com uma rede de editoras no pais. Dentro do seu plano de pseudo religião, a Nova Era possui leis, mandamentos, "escrituras sagradas", orações, etc...

 

Possui também sacerdotes e profetas com forças "sobrenaturais" e até mesmo um novo messias, capazes de realizar grandes sinais e operar maravilhas. Ensinam que o homem é deus e criou Deus conforme sua própria imagem. Portanto, o Deus que os cristãos adoram seria criação do próprio homem. Por isso, consideram o homem como parte da divindade, da consciência cósmica e da "força".

 

Cada pessoa precisa apenas descobrir e desenvolver a sua divindade. Para isso há numerosos cursos especiais, como por exemplo: "Pró-Vida", Integração Cósmica" e outros. Tudo isso nos diz, em última análise, que para os adeptos da Nova Era o caminho de vida dos homens e mulheres nada mais é que a divinização do ser. Afirmam também que todo homem pode ser absorvido completamente pelo espírito do deus da "força" ou do "poder".

 

Isto porque Deus não é pessoa, mas uma energia, consciência cósmica universal. Cada pessoa é um universo, conhece tudo. Acreditam que esta força neutra considera como Deus, possa ser manipulada para o bem ou para o mal. E, por isso, há grande interesse em aprender as práticas pelas quais poderão realizar tal manipulação. E, isto aprendem, dizem eles, através do pensamento positivo, exercitando-se meditação transcendental, ioga, etc...

 

Assim pretendem responder ao vazio deixado pelo materialismo.