UMA SÓ CARNE

O Sacramento do Matrimônio nos faz sócios, nas graças como nos pecados.

UM GESTO DE AMOR É CAPAZ DE APAGAR UMA MULTIDÃO DE PECADOS:

Gostaria de partilhar com vocês que há alguns anos atrás eu fui convocada para ser testemunha de dois processos de nulidade de casamento das duas irmãs de meu marido.

Quando estava próximo o dia do meu depoimento, me dirigi ao Sacrário e lá conversei com Nosso Senhor, na expectativa de obter dele um sinal.

           Entre muitas coisas que Nosso Senhor falou em meu coração, uma delas que me surpreendeu muito, foi a respeito de ser "uma só carne".....esclareceu-me sobre o que significa ser uma só carne, graça que os esposos alcançam no Sacramento do matrimonio e que os faz "sócios" tanto nas graças, quanto nos pecados, isto é, as minhas atitudes influenciam a salvação do meu marido e vice-versa.  

          É como se eu tomasse um copo d’água e apenas a metade dele serviria para matar a minha sede, a outra seria do meu marido. Se ele não ama Nosso Senhor eu preciso amá-Lo dez vezes mais. Quanto maior for o meu amor, maior será a chance do esposo se salvar. É como se estivéssemos andando naquelas bicicletas duplas em que ambos pedalam, se um levanta os pés do pedal, o outro precisa pedalar para os dois.

          Da mesma forma, os pecados praticados por um dos esposos também maculam o outro, mas o amor pode superar isto ( um só gesto de amor é capaz de apagar uma multidão de pecados!).

          Também me mostrou Nosso Senhor que muitos casamentos são nulos, porque o amor e o desejo de percorrer juntos o caminho da vida, construindo uma família, é mascarado por "n" intenções individualistas, como, por exemplo: "vou casar porque estou ficando solteirona ou porque fiquei grávida ou me entreguei"...e assim por diante.   Contudo, também percebi que se um dos cônjuges tiver amor suficiente para os dois, isto é, desejar ardentemente a sacralização do casamento, mesmo que haja vício, pode conseguir.

         O que acontece à custa de abnegação, renúncia e ou sofrimento movidos por este amor e oferecidos para este fim, com o desejo e a livre determinação de salvar a união, tornando-a válida aos olhos do céu. Somente o sofrimento vivido por amor e com resignação é que salva...me mostrou o Nosso Senhor mais claramente em uma outra oportunidade quando fui fechar o zíper da minha calça. O zíper é unido no inicio, assim como os esposos são escolhidos e unidos no céu, com a força do sacramento do matrimonio, e no fim, com a salvação, isto é, o céu.

         Se não existe esta união perfeita, assim como no zíper, não consegue fechar, as vezes até fecha, mas com qualquer movimento abre-se novamente. Assim como as duas partes do zíper são perfeitamente encaixadas, assim também o sacramento do matrimonio, pela força do Espírito Santo, faz com os esposos sejam perfeitamente adequados (uma mulher que lhe seja adequada).

          A lingüeta do zíper é a pessoa conjugal, recebida pelos cônjuges no sacramento do matrimonio, que pela força do Espírito Santo, tem o "poder" de fazê-los uma só carne, à medida que caminham em direção ao seu fim que é a salvação de ambos.

          Então, o milagre de ser uma só carne não acontece no momento do casamento, mas ao longo da vida. Com a ajuda do Espírito Santo é que os casais vão se tornando uma só carne.

           Achei lindo Nosso Senhor me mostrar que o sacramento do matrimonio nos garante este milagre, porém é o esforço dos esposos que possibilita esta realização (a água se tornou vinho quando os serventes levavam o cálice para o dono da festa, o milagre aconteceu no caminho).

           No dia do sacramento todos os casais recebem do Pai este presente maravilhoso que é a ajuda do Espírito Santo, porém nem todos se "permitem" abrir este presente, deixam a caixa fechada, guardada, e sem contar com esta ajuda, não há quem possa mover a "lingüeta" do zíper e fechá-lo no milagre de ser uma só carne.

           As coisas do mundo, engordam o casal, e o zíper não consegue ser fechado pelo Espírito Santo e, até mesmo, às vezes abre o que já havia sido consagrado, então precisa que os dois ou pelo menos um dos dois, faça os exercícios espirituais que "jogam" para fora as "indesejadas" gordurinhas mundanas que impedem o casal de santificar-se em uma só carne...terços, missas, jejum, tudo "emagrece"muito.

          Por último, ao fechar em uma outra oportunidade o zíper da Bíblia (algumas bíblias tem zíper),  percebi que o caminhar dos cônjuges, fazem-nos participantes do povo de Deus, constroem a história deste maravilhoso povo de Deus,  iniciados por Adão e Eva e depois consagrados por Maria e José (casal modelo), que na docilidade do seu SIM geraram o menino Jesus em seu meio (Deus conosco).

          Assim a docilidade do SIM dos esposos, da mesma forma, lhes permitem ser "encobertos" pela sombra do Espírito, fazendo-os fecundar, gerar e nascer o casal na pessoa conjugal (no ser uma só carne), à imagem e semelhança de Jesus, o que acontece ao longo da estrada da vida a dois, pouco a pouco, na luta e no esforço de cada um...